NAVIGATION

Tiro Desportivo

Tiro Desportivo

Com a finalidade de promover a prática de tiro desportivo, foi criada em Santarém o Clube de Tiro Tapajós.

O clube desenvolve atividades sociais, culturais, recreativas, possibilitando uma melhor integração entre os 160 associados, e ainda revela potenciais atletas. Como é o exemplo de Alessandro da Silva Nascimento, de 39 anos, que venceu todas as etapas do Paraense de Tiro Prático da temporada 2016 e está na 4ª colocação no ranking nacional, além de ter sido convocado para o Mundial da França 2017.

Por um ano, Alessandro serviu ao grupamento de fuzileiros navais de Belém. Quando saiu da marinha queria continuar treinando os tiros, mas não sabia como. Na capital paraense, ele teve a oportunidade de conhecer um clube de tiro, no qual se associou e trouxe a ideia para o município de Santarém, montando um grupo de pessoas que gostam do esporte. Em 2013, as atividades do Clube de Tiro Tapajós iniciaram. Hoje, é um dos maiores clubes do Brasil e já sediou a final do campeonato brasileiro em 2015, onde recebeu 250 atletas de todo o país.

Alessandro é formado em contabilidade e encontra no esporte o equilíbrio entre a correria e as demandas do trabalho. “Tem gente que come para desestressar. Tem gente que bebe, que vai correr. No meu caso, o tiro me ajuda a manter o equilíbrio,  controle emocional e a  rejuvenescer. Por conta do esporte, eu emagreci 18 quilos. O tiro desportivo me ajuda a ter uma qualidade de vida melhor”, afirma.

“Por conta do esporte eu emagreci 18 quilos. O tiro desportivo me ajuda a ter uma qualidade de vida melhor”

O contador há dois anos atira profissionalmente e se destaca na modalidade IPSC (International Practical Shooting Confederation), que é a junção de velocidade, tempo e precisão para um tiro perfeito. Para garantir um bom resultado e manter o porte físico adequado, Alessandro pedala, corre e faz treino funcional, além de ir ao clube duas vezes por semana, fazendo em torno de 400 tiros em cada treino.
Alessandro, hoje, é instrutor credenciado pela Polícia Federal, pelo Exército e pode ministrar cursos. O Atleta é um grande incentivador do esporte, inclusive para as filhas. A filha mais velha começou a atirar com 15 anos e já foi campeã. Ela recebeu uma autorização judicial e tem certificado de atiradora pelo exército. “É um dos esportes mais seguros por se tratar de munição real, então não pode vacilar. As regras são obedecidas”, enfatiza.

Deixe uma resposta

Top